Garagem é um lugar onde se guardam carros.-.Garagem é o lugar onde a banda toca.-.Garagem é o lugar onde se guardam as ferramentas.-.Mas essa garagem é um lugar diferente.-.Que nem todo mundo entende...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

“Meus Passos... Onde estão os meus passos? ” ( Por Zizi Marques )

Para uma pessoa que perdeu a sua capacidade de andar, seja total ou parcialmente, de forma trágica ou patológica, voltar a andar significa conquistar a liberdade outrora perdida, infelizmente às vezes este retrocesso não é possível, e a cadeira de rodas passa a ser o meio de locomoção mais viável.

O sonho de consumo de qualquer “cadeirante” (que utilize cadeira de rodas comum) é locomover-se por meio de uma cadeira de rodas motorizada que tem um custo bastante elevado no mercado e por isto é pouco acessível; porém nem todas as patologias conseguem utilizar os modelos que o mercado oferece, pois a opção de comando da cadeira é com as mãos.

Pensando na dificuldade de pessoas portadoras de graves seqüelas motoras como Paralisia Cerebral, Tetraplegia, Distrofia Muscular Progressiva, entre outras; O Laboratório de Sistemas Integráveis da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo apoiado pelo Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológicos (LSI – TEC) vem, através do convênio assinado com a Secretaria do Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPCD), desenvolvendo um projeto chamado Módulo de Controle Inteligente para cadeira de rodas, este traz a alternativa de conduzir a cadeira de rodas utilizando diversos acionadores com modos de toque, touchscreen, queixo, sopro, ampliando o acesso e barateando os custos, pois as cadeiras de rodas motorizadas fabricadas no Brasil são montadas com módulos de controle e motores importados.

Os profissionais dos Laboratórios (LSI – TEC) estão desenvolvendo hardwares do módulo de controle, softwares embarcados e softwares de configuração, além da interface para interação com cadeiras de rodas motorizadas.

A equipe do setor de Terapia Ocupacional da Abdim, por meio da coordenadora Adriana Klein foi convidada a visitar o Laboratório de Sistemas para testar os diferentes Joysticks com o objetivo de avaliar e emitir opiniões sobre a possibilidade de uso em pacientes com Distrofia Muscular Progressiva.

Estamos na torcida, por esta grande conquista!!!

Mais Informações:

Laboratório de Sistemas Integráveis da Escola Politécnica da USP  http://www.isi.usp.br/

Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico http://www.isitec.org.br/

contato@Isitec.org.br





Participação: Adriana Nathalie Klein – Coordenadora do Setor de Terapia Ocupacional

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O Mundo gira nas rodas da minha cadeira ( Por Gustavo Adolfo )

Ilustração de Douglas Maciel

Sabemos o quanto é importante o uso de uma cadeira de rodas á quem necessita de auxilio para locomover-se, utilizá-la de forma inadequada pode causar prejuízos ao paciente.

Nosso amigo Gustavo Adolfo entrevistou a coordenadora de Terapia Ocupacional Adriana Klein e tira todas as dúvidas sobre Cadeira de Rodas Padrão e Cadeira de Rodas Adaptadas.





A IMPORTÂNCIA DA CADEIRA DE RODAS ADAPTADA? E Qual a CONSEQUÊNCIA DA CADEIRA DE RODAS SEM ADAPTAÇÃO?

As Distrofias musculares muitas vezes causam desequilíbrio muscular na
região da cintura pélvica e na coluna vertebral, se o paciente ficar sentado sem um sistema de adequação postural pode favorecer esse desequilíbrio, acentuando as deformidades.

Nem todos os pacientes com distrofia muscular tem indicação de uso de
sistema de adequação postural, mas devemos ficar atentos para sempre
priorizar a adequação postural, porém sem prejudicar a capacidade funcional e ainda darmos conforto ao paciente.

Estes três fatores nem sempre são contemplados, pois às vezes queremos estimular um melhor posicionamento do paciente com adaptações na cadeira, porém ele pode perder a capacidade de alimentar-se sozinho ou jogar o vídeo game... Adaptar cadeiras é sem duvida sempre um desafio!

UMA CADEIRA DE RODAS PADRÂO SERVE PARA TODAS AS DEFICIENCIAS?

Não, pessoas não são como roupas, com tamanhos P,M,G. Há diversos
modelos no mercado, desde as mais baratas, até com características
diferentes, como por exemplo, cadeiras de rodas de atletas possuem sistema de cambagem nos pneus, pacientes com tetraplegia necessitam de cadeira de rodas completas, com apoios de cabeça, sistema tilt.
Pacientes com distrofia muscular se adaptam a modelos de cadeiras de
rodas com angulo de assento e encosto em 90 graus, mas quando há queixas de dores na região de membros inferiores, há necessidade de sistema tilt para alivio da região afetada.

COMO É FEITO UMA ADAPTAÇÃO DE CADEIRA DE RODAS?

Primeiro é decidido se a cadeira de rodas atual é capaz de receber um
sistema de adequação postura, pois muitas vezes a cadeira de rodas é
velha.

QUAL A MELHOR CADEIRA DE RODAS PARA UM IDOSO?

Cadeira de rodas confortáveis, que dêem apoio para a região "mais
arredondada" da coluna, que denominamos cifose fisiológica.

QUAL A MELHOR CADEIRA DE RODAS PARA UMA CRIANÇA?

Depende da patologia, mas deve-se analisar a idade, para prescrever um
tamanho de cadeira que permita uma participação social e interação com
outras crianças da mesma faixa etária, facilite a locomoção do cuidador (às vezes o cuidador tem que abaixar demais para conduzir o paciente), outro ponto importante é priorizar a segurança, pois as outras crianças costumam querer brincar e acidentes podem acontecer.

QUAL O NOME DO PROFISSIONAL QUE ADAPTA/CONFECCIONA CADEIRA DE RODAS?

Não tem um nome, geralmente terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas
especializados em sistemas de adequação postural e cadeiras de rodas.

QUAL A MELHOR CADEIRA DE RODAS APROPRIADA PARA PRAIA?

Qualquer cadeira de boa qualidade pode ir à praia, porém há
necessidade de dobrar a atenção para quem está levando esta cadeira, pois a areia é uma superfície instável, e acidentes são comuns, por isto o uso do cinto de segurança é importante e limpar muito bem o sistema de rodas para evitar que enferruje, outra limitação é a água, ela deve chegar apenas na rodas, evitando molhar o tecido do assento/encosto.
Atualmente tem modelos de cadeiras de rodas para uso exclusivo na
praia, eu não conheço nenhum paciente que possui, porém ela permite a
entrada no mar sem comprometer os tecidos.

ONDE FABRICA AS PEÇAS DA ADAPTAÇÂO DA CADEIRA DE RODAS?

Tem diversas empresas e oficinas ortopédicas que confeccionam as peças
de sistema de adaptação, porém o que as diferenciam é a presença de um
profissional de reabilitação especializado sempre junto para realizar
qualquer procedimento de adequação postural.

EXISTE ALGUMA RESTRIÇÂO PARA CADEIRAS MOTORIZADAS?

As cadeiras motorizadas permitem grande mobilidade e independência, apesar de ser um sistema caro e que exige revisões constantes, exige também um meio de transporte que facilite a locomoção já que um sistema motorizado pesa acima de 60kg. Segue as mesmas observações para indicação de uso de
sistema de adequação postural e segurança.

Supervisão: Ana Carolina Gomes



Colaboração: Setor de Terapia Ocupacional


Participação: Adriana Klein - Coordenadora do Setor de T.O

Transporte ( Por: José Aparecido )

O transporte para os deficientes físicos em muitos lugares é escasso
e não atendem por completo a necessidades de acessibilidade e
assiduidade que um transporte específico necessitaria para levar e
trazer, desde a sua casa ate o trabalho, escola, lazer e etc.

Este transporte é essencial para a integração do deficiente físico a
sociedade, pois proporciona a interação com outras pessoas,
possibilitando a convivência e interação com pessoas de níveis e

pensamentos diferentes.

No caso da festa do Harmonia, que é realizada em Santana, este
transporte vai ocorrer de diversas formas, alguns tem a possibilidade de
ir de transporte próprio, levando toda a sua família, outros pedem para
os seus vizinhos levarem até a festa e os pegarem depois.

Alguns que moram em outros municípios como por exemplo Embu das
Artes e São Caetano conseguem transporte das prefeituras ate o local da
festa, facilitando a ida e a vinda até o local podendo assim
levar a sua família.

O deficiente físico que mora em São Paulo tem a vantagem do
transporte da prefeitura, chamado Atende, este transporte é a melhor
forma de locomoção a escola, trabalho e lazer, possibilitando a
locomoção mais fácil e adequada as necessidades de cada deficiente
físico, porem a um limite de acompanhante que impede neste caso a
convivência de sua família ao lazer, pois só é permitido uma pessoa como
acompanhante assim na festa do Harmonia muitas famílias tem que irem de
carro ou de ônibus para chegarem ate o local da Festa.

O transporte no dia da Festa é essencial para que todas as pessoas
que fazem parte da família da ADBIM possam se divertir com as atrações
da festa, mais acima de tudo reencontrar os amigos, conversar e dar
risada, brincar e ser mais feliz, pois esse dia é de Festa e alegria.

Supervisão : Ana carolina Gomes dos Santos

Correção: Bruno de Pierro

Bairro de Santo Amaro - SP ( Por Anderson Batista )

Hoje eu vou falar sobre a historia do Antigo município de Santo Amaro que deixou de existir mais quem sabe um dia volte a existir . Após a fundação de São Paulo, em 1554, os jesuítas foram distribuídos na capitania de São Vicente em três locais, São Vicente; São Paulo e Jeribatiba (Santo Amaro), José de Anchieta vindo do povoado de São Paulo de Piratininga (São Paulo), em uma das várias vezes que visitou a aldeia de jeribatiba percebeu que devido ao número de índios catequizados e colonos morando na região, era possível criar ali um povoado, idéia aprovada pelos moradores. Para este fim foi construída uma capela, terras da região do Cupecê onde moravam João pais e sua esposa Susana Rodrigues, que doaram imagem de Santo Amaro (imagem até hoje Preservada) para a capela organizada por Anchieta, “feita de taipa de pilão, não forrada”, e que foi transformada em freguesia (distrito) em 1688. Em 1832 Santo Amaro torna-se município, separado de São Paulo, sendo instalado em 7 de abril de 1883. O município abrangia todo o território que se situava ao sul do antigo córrego da traição, hoje em dia canalizado e sobre a qual existe a avenida dos bandeirantes, estendendo-se até a serra do mar incluía na sua formação, também as áreas que correspondem aos municípios de Itapecerica da Serra, Embu, Embu Guaçu, Taboão da Serra, São Lourenço da Serra e Juquitiba, que se separaram em 1877 para a formação do município de Itapecerica da Serra. Algumas pessoas diziam que Santo Amaro deixou de ser município e tornou-se parte de São Paulo por causa da construção do aeroporto de congonhas outras diziam que foi por causa da má vontade ex-presidente Getúlio Vargas porque em Santo Amaro foi formado um dos primeiros batalhões na revolução de 1932, mas na verdade o verdadeiro motivo pra Santo Amaro deixar de ser município é porque Santo Amaro vasto em território, mas fraco em termos econômicos e populacionais.



A região de Santo Amaro concentra importantes industrias, grandes escritórios e sedes de bancos.

Em Santo Amaro encontra-se o um batalhão de policia militar, um distrito policial, um grupamento dos bombeiros, uma inspetoria da GCM, um fórum civil, e um criminal, o hospital regional sul, um pronto-socorro municipal, duas ubs, a biblioteca Belmonte, a biblioteca prefeito Prestes Maia, a casa de cultura Manoel Cardozo de Mendonça, o teatro Paulo Eiró, o cetrasa (centro das tradições de Santo Amaro) que mantém o museu histórico do bairro de Santo Amaro, o poupatempo de Santo Amaro e o herbário municipal.




Santo Amaro faz divisa com Campo Belo, Cidade Ademar, Campo Grande, Socorro, Jardim São Luis, Vila Andrade e Itaim Bibi. Concluindo se Santo Amaro Ainda fosse cidade eu acho que seria uma das mais importantes cidades do pais.

E sei que seria a cidade com mais nordestinos porque eu moro na região e conheço muitos nordestinos principalmente da minha terra a Bahia.

Como era e como esta a antiga prefeitura de Santo Amaro:
                                                                               

Supervisão : Ana Carolina Gomes dos Santos


Correção : Bruno de Pierro

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Em algum lugar além do arco-íris ( Por Debora Ciotek - Fisioterapeuta )

Lembro-me sempre de meus pais falando que eu deveria escolher uma profissão que amasse, pois seria uma escolha para vida toda. Escolhi a fisioterapia e tenho certeza a cada dia do quão apaixonante é essa profissão, que, claro, como todas as outras, tem muitos obstáculos no caminho do sucesso profissional.


Esse vídeo que foi postado no Blog fiz quando fui convidada para dar uma palestra na faculdade em que me formei. Eu queria mostrar um pouco do meu trabalho aqui na ABDIM a todos os alunos e professores de lá. Para isso, editei alguns filmes de atendimentos e coloquei alguns depoimentos de pacientes de distrofia muscular de um artigo que havia lido e achado incrivelmente lindo. É claro que a trilha sonora deveria ser com uma de minhas músicas favoritas, e por isso a coloquei de fundo. Escrevo a tradução dela para que vocês possam seguir.




Somewhere over the Rainbow- Em Algum Lugar Além do Arco-íris

Em algum lugar além do arco-íris
Bem lá no alto
E os sonhos
Que você sonhou
Se tornaram uma canção de ninar
Em algum lugar além do arco-íris
Os pássaros azuis voam
E os sonhos
Que você sonhou
Se tornam realidade
Algum dia
Eu queria que uma estrela
Atendesse meu pedido
Me levando para o além das nuvens
Deixando tudo para trás
Onde os problemas derretem
Como balas de limão
No topo das chaminés
É onde você vai me encontrar
Em algum lugar além do arco-íris
Os pássaros azuis voam
E os sonhos
Que você ousou
Oh, porque, oh porque eu não posso?
Bem, eu vejo
O verde das árvores
E rosas vermelhas também
Eu verei elas florescerem
Para nós
E eu penso comigo
Que mundo maravilhoso!
Bem, eu vejo
Céu azul
E nuvens brancas
O brilho do dia
Eu gosto do escuro
E penso comigo
Que mundo maravilhoso!
As cores do arco-íris
Tão lindas no céu
Estão também nos rostos
Das pessoas caminhando
Eu vejo amigos de mãos dadas
Dizendo: como você vai?
Eles realmente dizem
Eu amo você
Eu ouço bebês chorando
Eu vejo eles crescendo
Eles aprenderão mais
Do que realmente sabem
E eu penso comigo
Que mundo maravilhoso!
Algum dia
Eu queria que uma estrela
Atendesse meu pedido
Me levando para o além das nuvens
Deixando tudo para trás
Onde os problemas derretem
Como balas de limão
No topo das chaminés
É onde você vai me encontrar
Em algum lugar além do arco-íris
Bem lá em cima,
E os sonhos
Que você ousou
Oh, porque, oh porque eu não posso?


Entrei na ABDIM como estagiária, em 2009, e não há um dia desde então no qual eu não aprenda algo com esses “grandes professores”. Cada pessoa com que convivo me ensina dia a dia como me tornar uma pessoa melhor. Aprendo com meus erros, acertos, ensinamentos, histórias de vida, e com um simples “obrigado, Deus lhe abençoe”!

Conviver diariamente com pacientes com uma doença progressiva me fez perceber que todos nós temos obstáculos em nosso caminho, e o que antes eu considerava como sendo problema é apenas mais um obstáculo a ser ultrapassado. Me fez pensar também em quantas oportunidades nós perdemos em nossas vidas pelo medo de tentar. Pelo receio de que algo possa dar errado? Pelo medo do que as pessoas vão dizer ou pensar. Meu conselho é: Arrisque mais, tente mais, erre mais, viva mais... com tudo de mais belo que a vida tem a lhe oferecer. E claro, nunca desista de seu sonho, pois sonhos existem para serem perseguidos e alcançados!

Nada melhor do que um sorriso no rosto para enfrentar qualquer obstáculo que a vida nos coloca. Agradeço a deus por ter tido a oportunidade de conhecer cada um de vocês da Abdim e quero terminar esse depoimento com uma frase que gosto muito e que resume as maneiras de se levar a vida:

“ Há os que se queixam do vento. Há os que esperam que ele mude. E há os que procuram ajustar as velas." -- William G. Ward


Pensem nisso....

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Mult Lift !! ( Por Eder Telles e Walter Marconcini )

Para um deficiente entrar em um carro, a maneira mais apropriada é por meio de aparelhos que fazem o embarque e o desembarque. Um desses aparelhos é o mult lift, que funciona como um guincho para realizar a passagem. Assim, ninguém se machuca nem o acompanhante que não precisa fazer esforço físico, nem o deficiente físico sendo carregado de maneira incorreta.


- O que é o MULT LIFT ?

O Mult lift é um dos aparelhos capazes de transferir o deficiente físico para o automóvel de passeio.

- O que ele faz?

Faz a transferência do deficiente físico da cadeira rodas para o veiculo, sem necessidade de um terceiro para remover o deficiente sem fazer esforço físico.

-Como é essa transferencia?

A transferência é feita através de um saco, que colocado na cadeira de rodas

e é passado por baixo das pernas do deficiente físico.

- Sem esse aparelho como é feita a transferencia?

Tem que carregar o deficiente no colo.

- Qual é o desconforto para o deficiente e para a pessoa que “ carrega” sem orientação necessária?.

A pessoa não orientada pode machucar o deficiente físico, por não saber pegá-lo da forma certa, sem contar que a pessoa pode ter diversos tipos de lesão na coluna.

- Onde se adquire?

Este aparelho é encontrado apenas na cavenaghi.

- Como é feita a instalação?

A instalação é feita apenas na cavenaghi.

- Quanto custa?

O mult lift custa por volta de R$ 3.200

Segue um vídeo demonstrativo com a transferência manual e a seguir com o mult lift:




Supervisão: Ana Carolina Gomes


Correção: Bruno de Pierro

Fique ligado! ( Por Adolfo Luiz )

Adolfo Luiz da Silva fez uma pesquisa sobre o transporte Ligado, explicando o que ele é, como funciona, e quem são os beneficiários que utilizam esse tipo de transporte.


O que é o Ligado? E como ele Funciona?

É um transporte público que atende pessoas com necessidades especiais nos 39 municípios do Estado de São Paulo, por meio de convênios que poderão ser assinados com órgãos federais, estaduais e municipais, em programas relacionados às áreas da educação, saúde, cultura e lazer.


Quem é o responsável por este serviço?

EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, cujo presidente é Julio Antonio de Freitas Gonçalves.

Quem são os beneficiários deste serviço? E o que ele disponibiliza?

Segundo o site da EMTU (http://www.emtu.sp.gov.br/institucional/noticias.htm?seq=438): “O Ligado começou atendendo 30 crianças com deficiência, que freqüentam escolas da rede Estadual de Ensino dos municípios de Guarulhos, Santo André, São Bernardo do Campo e Suzano, 32 que são atendidas pela Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD, sendo 10 delas cadeirantes, e mais 50 crianças e respectivos acompanhantes que freqüentam a Associação Amigos dos Autistas – AMA. Ao todo, no segundo semestre de 2009, serão transportados no trajeto casa/escola 180 usuários. No entanto, o convênio prevê atender 400 passageiros em 18 meses”

Como fazer para conseguir este serviço?

Ligar para a Central da EMTU. 0800 724 05 55. O interessado em utilizar o Ligado deve entrar em contato com a escola na qual o aluno especial está devidamente matriculado. O representante do estabelecimento de ensino deve repassar o pedido para Coordenadoria de Educação do Governo do Estado, na unidade de sua cidade. O trajeto casa/ escola (origem e destino da viagem) deverá ser na área de atuação da EMTU/SP, ou seja, entre os 39 municípios que compõem a Região Metropolitana de São Paulo.

A EMTU/SP é responsável pelo planejamento, organização, execução do serviço e fiscalização, além de estabelecer as regras, diretrizes e procedimentos operacionais. Os custos ficam a cargo das entidades que se conveniarem ao serviço.

Operação

Novamente segundo o site http://www.emtu.sp.gov.br/institucional/noticias.htm?seq=438

“O transporte Ligado começará a operar no dia 03/08 das 5 horas às 23 horas. Pelo regulamento do serviço, o condutor ligará para a central de controle na EMTU/SP antes de iniciar a operação e verificará se há alguma mudança na programação, pois os pais ou responsáveis também terão acesso à central para comunicar qualquer eventualidade ou o cancelamento antecipado da viagem.

Para os alunos do ensino regular, o serviço terá um monitor contratado pelo próprio operador para acompanhar as crianças. Os freqüentadores da AMA viajarão com seus próprios acompanhantes e os da AACD terão um responsável indicado pela instituição em cada veículo.

Os motoristas, credenciados na Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos, passaram pelo curso de capacitação para atendimento às pessoas com deficiência do SEST/SENAT que abordou assuntos como cidadania, legislação, conceito de acessibilidade, de deficiência e doença, tipos de deficiência e regras do transporte escolar.

Os 52 veículos apresentam comunicação visual especialmente desenvolvida para o serviço e são do tipo micro-ônibus, sendo 27 deles equipados com elevador para cadeirantes. Os motoristas deverão encaminhar os carros à inspeção de frota a ser feita pelos técnicos da EMTU/SP a cada seis meses”.



Informações Retiradas do Site:

http://www.emtu.sp.gov.br/institucional/noticias.htm?seq=438



Supervisão: Ana Carolina Gomes

Correção: Bruno de Pierro

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Esportes Adaptados ( Por Marc Aoki )

Existem vários esportes adaptados para cadeirantes como o basquete, handebol e vôlei, mas eu não gosto desses esportes, sempre gostei é de futebol, eu pensava, bem que podia ter futebol adaptado para nós, mas um dia procurando pelo google achei futebol adaptado para cadeira de rodas motorizada, nossa eu fiquei feliz da vida e quem sabe a gente não monta um time aqui na abdim? Sonhar não custa nada!


Futebol de cadeira motorizada:

O futebol de cadeira motorizada é um esporte coletivo que está se formando agora, mas que é de pura emoção. É necessário o domínio de si mesmo, não precisa ter muita habilidade, e mais importante ter uma cadeira motorizada e uma bola de basquete.

Este esporte foi criado na França em 1991, que pode ser praticados por todos aqueles que tenham cadeira motorizada. Na parte da frente da cadeira é colocado um para – choque, que depois dos jogos é retirado, sem que a cadeira sofra algum dano ou alteração. Os jogos desenvolvem – se numa quadra de basquetebol normal aproveitando os seus limites especiais. A duração dos jogos é de 15 minutos, em cada uma das partes e as balizas são constituídas por duas traves. De forma a evitar que a bola não deixe o campo de jogo, existem planos inclinados nas partes laterais do campo.

Apesar de os princípios do jogo serem os mesmos do futebol clássico,algumas regras foram acrescentadas,de forma a compensar a não existência da terceira dimensão.

O futebol é praticado por todos, que por ele são apaixonados. Quantas crianças em cadeira de rodas, não gostariam de jogar futebol?
Ao futebol em cadeiras de rodas não existem restrições de idade, sexo de patologia, mesmo se tratando de competição. Nesta pratica basta ter cadeira motorizada, gostar de jogos coletivos e ter espírito de equipe.


Video com cenas de um campeonato internacional - Ligue o som


Quando eu jogava  (Depoimento)

Como todo brasileiro que gosta de futebol quando criança sonha em ser jogador e comigo não poderia ser diferente, mesmo tendo distrofia de duchenne, quando ia para escola da aacd só queria saber é de jogar bola, nada de estudar, ao invés de por os livros na mochila primeiro, eu colocava a bola e o uniforme de goleiro.

Quando chegava o intervalo eu e meus amigos já íamos correndo até o pátio para formar o time, mesmo cada um tendo uma patologia diferente dávamos um jeito para ninguém ficar de fora, os cadeirantes normalmente eram goleiro ou centroavante, mas só o meu time era diferente dos outros. Eu gostava de ser goleiro, mas uma vez tomei tanto gol que meu amigo Thiago falou: deixa eu ser o goleiro, e você fica na linha. Na hora não gostei muito, porque na linha tinha muitos cadeirantes e eu como andava, tinha medo de ser atropelado por eles, mas aí eu pensei comigo, me machucar não vou afinal eu usava goteira(ortese).

Sendo assim virei um centroavante,como não tinha muita força para chutar,o meu amigo só jogava a bola pelo alto para eu poder fazer os gols só de cabeça, eu fiz tantos que eles colocaram um apelido em mim de Jardel, na epoca o melhor cabeceador do campeonato brasileiro.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Natal Solidário ABDIM/Harmonia Solidária ( Por Andre Hidemi )

O Grupo Harmonia Solidária faz há 7 anos consecutivos a Festa de Natal da ABDIM.

É uma grande festa, muito animada, com muitas atrações e muita comida. Churrasco, pastel, cachorro quente, carne louca, café da manhã, raspadela, refrigerante, suco, sorvete são servidos de graça.

De atrações já houve nestes sete anos o show da cantora Karen Ito, a presença do maestro João Carlos Martins, a visita da Vereadora Mara Gabrilli, o prestígio do ator Júlio Rocha, o show de ilusionismo do grupo Orient Magic Show, apresentação de marionetes, shows de grupos musicais, lutas marciais, gincanas, oficina de origami e de jogos, coral e muitas outras.

Em várias oportunidades, os pacientes puderam expor seus talentos, seja cantando, declamando poemas, fazendo discursos, expondo seus trabalhos e fazendo apresentações musicais. Com as mães, já houve apresentações de dança folclórica e feiras de pechincha. Além disso, todos os anos há bingo e sorteio de vários prêmios, como bicicleta, cadeira de rodas, cestas especiais, cafeteira, brinquedos, aparelhos eletrônicos, produtos de beleza e vários brindes. A festa promove no fim do ano o reencontro de todos os pacientes, mães e cuidadores, numa verdadeira confraternização.

O Grupo Harmonia Solidária é um grupo de voluntários que faz vários eventos do tipo para a comunidade japonesa e para associações, como asilos, centros de tratamento e clínicas de reabilitação. O grupo é composto em sua maior parte por descendentes de japonês. Antes, a festa era realizada no Colégio Harmonia, em São Bernardo do Campo, ultimamente tem sido realizada na APCD.


Os deputados federais Walter Ihoshi e William Woo e o vereador Jooji Hato sempre contribuem com a festa. Além da Festa de Natal, o Grupo Harmonia Solidária promove outros eventos e sorteios, cuja arrecadação reverte em doações para a ABDIM e recursos para a festa.

A Festa de Natal da ABDIM, na verdade, é um mega evento para todos. O pessoal da ABDIM agradece muito ao Grupo Harmonia Solidária por todos esses anos de solidariedade, dedicação, boa vontade, demonstração de amor, carinho e promoção do bem-estar.



Video Retrospectiva - Ligue o som

Supervisão : Ana Carolina Gomes

Video e elaboração: Valdir Higino e Zizi Marques

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Mundo cão é você quem faz!

Campanha Natal Cão Amor 2010!!!

Há muitas formas de ajudar os bichos neste Natal:

http://mais.uol.com.br/view/34jkow52xbh2/adote-um-pet-neste-natal-0402183566DC998307?types=A

Participe!!!




quinta-feira, 4 de novembro de 2010

O Dedo que abre portas e janelas (Por Anderson Batista)

Um paciente e um terapeuta, juntos acreditaram que podem.

Um breve relato sobre Anderson Batista, paciente da Abdim, que tem seus movimentos comprometidos pela distrofia. Ele havia perdido sua capacidade de usar o computador, ferramenta que permite a ele ter acesso ao fantástico mundo da internet.

Agora, devido a um mouse de dedo, descoberto pela equipe de terapia ocupacional da Abdim, o garoto pode viajar para onde quiser, abrindo portas e janelas de seu conhecimento.

“Há alguns meses, eu não estava conseguindo usar o computador, porque tinha muitas dificuldades para usar o mouse. Foi então que a Silvia, terapeuta ocupacional da Abdim, me apresentou o mouse de dedo, um dispositivo que facilitou o uso do computador”, disse Anderson.

Para aqueles que desejam saber mais sobre o mouse de dedo, entrevistamos a equipe de Terapia Ocupacional da Abdim.

1. Como o setor de terapia ocupacional da Abdim descobriu o mouse de dedo?

Por meio de pesquisas que fazemos na internet.

2. Como faz para conectar o mouse de dedo no computador?

Basta conectá-lo na porta USB do computador.

3. Quais as vantagens e desvantagens do mouse de dedo?

O mouse de dedo pode ser uma boa alternativa para quem dificuldade para utilizar o mouse convencional. A principal desvantagem que encontramos foi o modo como o anel é preso ao dedo. Estamos estudando outras alternativas para fixar melhor ao dedo.

4. Quais as adaptações que se precisou na Abdim para usar o mouse de dedo?

A adaptação que mais utilizamos associada o mouse de dedo é um plano inclinado. Para o mouse funcionar bem ele precisar estar perpendicular ao plano de apoio. Em alguns casos inclinar o plano de apoio facilita seu uso

5. Onde se pode consegui o mouse de dedo?

Ele pode ser adquirido por meio de sites de compra na internet.

6. No que o mouse de dedo pode melhorar?

Ele pode facilitar o acesso ao computador.

7. O mouse de dedo pode ser usado com qualquer sistema operacional?

Testamos seu uso apenas com o Windows XP e 7. Segundo o fabricante, o mouse de dedo pode ser utilizado no sistema MAC e nas versões anteriores do Windows. Não testamos ainda com o Linux.

8. Quais principais alternativas ao mouse tradicional?

Há vários recursos alternativos. Os principais são:

1- Utilização das teclas direcionais do teclado como mouse

2- Há programas que convertem o joystick utilizado em jogos em movimentos do mouse

3- Programas que com uma câmera captam o movimento da cabeça e transferem para o cursor

4 - Outros periféricos, como o mouse TrackBall (todos os movimentos do mouse são controlados por uma bolinha), a mesa digitalizadora (permite controle do mouse com uma caneta especial utilizada com uma base).

9. No que o mouse de dedo pode melhorar a qualidade de vida das pessoas?

A melhor qualidade de vida vem quando a pessoa pode realizar tarefas que estavam difíceis, o que não estava mais realizando.

As pessoas com distrofia muscular que possuem poucos movimentos nos membros superiores (mãos) o computador torna-se o principal instrumento de acesso a informações, comunicação com amigos, aprendizagem, trabalho, bem como na descoberta de habilidades como photoshop, Autocad... Entre outros.

Nesse sentindo o mouse de dedo, assim como os outros recursos citados acima podem beneficiar várias pessoas a utilizar de maneira mais eficiente o computador.



EXTRA! EXTRA! EXTRA!

Publicado em 07/10/10 uma matéria no jornal folha de São Paulo, com Anderson Batista dos Anjos, sobre o uso do GenVirtual, um programa utilizado na terapia ocupacional da Abdim, que visa a manutenção dos movimentos em pacientes acometidos por distrofias musculares. Acompanhem a matéria no link abaixo: http://www1.folha.uol.com.br/tec/811333-jogo-e-usado-no-tratamento-de-distrofia-muscular-em-sp.shtml


Colaboração: Silvia Junko - Setor de Terapia Ocupacional


Supervisão: Ana Carolina Gomes dos Santos

Revisão: Bruno de Pierro

domingo, 31 de outubro de 2010

O voto e a fé ( Por Andre Suegama e Valdir Higino )

 Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. Com essa frase, dita ha 2 mil anos, quando perguntado se era licito pagar impostos, Cristo, já definia bem a questão de que política e religião não se misturam. Isso reflete a grande influencia que a religião exerce sobre a Política, quando questões éticas e morais são envolvidas nas polêmicas discutidas, desde tempos remotos.


Nas discussões sobre pesquisas com células-tronco embrionárias, legalização do aborto, casamento gay, união civil entre homossexuais, proibição do uso de símbolos religiosos em lugares públicos, legalização da eutanásia e demais questões, padres, bispos, pastores, rabinos, evangélicos, a CNBB, a Igreja Católica e o Vaticano exercem forte lobby, militância e pressão política, transformando-se em verdadeiros cabos eleitorais. As igrejas e os templos se tornam locais de aparição publica e grandes comícios.

Nestas eleições, houve a reviravolta no primeiro turno, na qual as pesquisas que indicavam a vitoria de Dilma Roussef já no primeiro turno não se concretizaram, havendo o segundo turno com Jose Serra e a ascensão de Marina Silva na ultima hora. Isso se deveu as acusações sobre a suposta defesa do aborto por parte de Dilma Roussef. Na eleição para prefeito de São Paulo em 1985, o candidato que era o 1º colocado nas pesquisas, se declarou ateu num debate de televisão e surpreendentemente acabou perdendo o pleito e muitos acreditam que foi por causa dessa declaração. Não levaram em conta se ele poderia ser um bom administrador.

Daí a importância de se ficar em alerta para que o Congresso Nacional não se torne uma espécie de “Santa Inquisição” velada, onde questões que beneficiariam milhares de pessoas como as células-tronco, por exemplo, fiquem travadas nas mãos dos supostos representantes de Deus em nome da ética, da moral e dos bons costumes.

E aproveitando o assunto, o Garagem online fez uma enquete com o pessoal da ABDIM. Os resultados dão que 50% acreditam que a religião influencia em suas vidas contra 50% que não acreditam na informação. Na outra pesquisa, 39 pessoas acreditam que a religião influencia na política contra 24 que não acreditam na informação.

Consultando no dicionário Aurélio o significado de influência, veremos o seguinte: s.f. Ação de uma pessoa ou de uma coisa sobre outra: ter grande influência sobre uma criança; influência do clima sobre o temperamento. / Ascendência, autoridade, crédito, prestígio, preponderância. / Influxo.


Perguntamos, nesse contexto, até que ponto nós somos de fato influenciados na era dos Ipods e do MP3. Apesar do aparato tecnológico que amplia a circulação e a criação de informações – chegando até ao ponto de desinformar, tamanho o excesso de notícias – vemos que comportamentos extremamente tradicionais e religiosos ainda são diluídos em campos da sociedade que, a priori, deveriam ter evoluído moralmente, no decorrer da história. No caso do conhecimento científico, que sempre se colocou distante do discurso da religião, percebe-se que as decisões relacionadas a políticas científicas ainda são fortemente ligadas a interesses políticos – estes sim conduzidos de maneira religiosa. Ainda vemos que o retrocesso é a palavra de ordem, e que o progresso é esquecido.

Créditos: André Hidemi, Valdir Higino, José Aparecido, Ana Carolina.

Correção : Bruno de Pierro 

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Eu vou me adaptar! ( Por Felipe Roldão e Alexandre Cabral )

Nosso terapeuta Ocupacional Paulo Rogério nos conta um pouco sobre sua profissão dando ênfase as adaptações.

Confira!

1- Como é o trabalho para um T.O com adaptações? Para realizar adaptações requer um outro curso específico fora a graduação?

Todo Tepareuta Ocupacional é um especialista em analisar as atividades humanas e em especial intervir quando o ser humano apresenta dificuldades em realizá-las. Nesta intervenção o Terapeuta Ocupacional vai utilizar de técnicas aprendidas, o uso de adptações e a confecção das mesmas é uma destas técnicas.

Para confecção de adaptações com enfoque mais tecnológico, é necessário o conhecimento técnico ou, o mais comum é o Terapeuta Ocupacional se associar à profissionais que possuam este conhecimento (técnicos, engenheiros, arquitetos, etc.);

2- Houveram avanços nas técnicas? Quais?

Sim e muito avanço após a consolidação da profissão e de cursos de especialização em Tecnologia Assistiva. É difícil citar quais os avanços em si, porém o desenvolvimento de softwares e equipamentos visando pessoas com necessidades especiais e o conhecimento por parte da população de que há um profissional com o enfoque do Terapeuta Ocupacional, tem contribuído para o avanço na área.

3-Para você como é trabalhar com Terapia Ocupacional?

Gratificante. O enfoque nas potencialidades da pessoa e não nas suas dificuldades foi o que me chamou a atenção e contribuiu para que eu deixasse a área de telecomunicações, na qual trabalhei por 6 anos, iniciando na Terapia Ocupacional, utilizando ambos os conhecimentos.

4- Como surgem as idéias para se fazer uma adaptação?

A partir da análise da atividade, na qual vemos as dificuldades na execução e como a adaptação pode auxiliar ou potencializar. Também a partir de idéias vindas da pessoa que irá utilizar e de outras adaptações que obtiveram sucesso.

5- Qual a diferença do Terapeuta Ocupacional Brasileiro do Europeu?

Eu especificamente tive contato com um terapeuta ocupacional irlandês. A maior diferença está no quesito criatividade. O terapeuta ocupacional irlandês possui acesso facilitado à recursos e tecnologias de alto custo. Já no Brasil temos menor acesso, não somente nessa área, mas em todas relacionadas à acessibilidade. Sendo assim, o profissional brasileiro apresenta maior criatividade e capacidade de resolução de problemas.

6- O governo estrangeiro investe mais em tecnologia do que o governo brasileiro?

Sim, pelo menos aparentemente os governos enxergam a tecnologia como facilitar e direito e não como luxo. Aqui, tenho a impressão que há ainda a visão de que isto é luxo e pode ser supérfluo, portanto, não necessária.

7-É muito diferente trabalhar com pacientes portadores de distrofia muscular de outras patologias?

Cada paciente é diferente – cada pessoa possui suas particularidades. A única mudança é o fato deste perfil populacional se adaptar e achar seus próprios meios de executarem as atividades do dia-a-dia, nos ensinando muito, Fora este fato vocês são tão “legais” quanto nós e quanto qualquer pessoa.

Supervisão: Viviane

FUNDAÇÃO MAKE WISH REALIZANDO SONHOS ( Por Vitor Moscheta )

O nosso amigo e paciente da ABDIM, Vitor Moscheta, tinha um grande sonho que era ganhar um Laptop, e graças à fundação MAKE A WISH, ele teve o seu sonho realizado.

Foi através de uma amiga da sua irmã que é voluntária da instituição que ele conheceu o trabalho da MAKE A WISH.

Ela instruiu o Vítor a escrever uma carta falando sobre seu sonho. Vítor então escreveu pedindo um laptop, dizia na carta que sempre quis ter um, porém sua mãe não tinha condições financeiras para arcar com a compra.

Foi então a partir dessa carta que tudo aconteceu ...

Algumas pessoas da fundação MAKE A WISH foram até a sua casa para conhecer ele e sua família e lógico o seu grande sonho. Foi uma tarde muito agradável, fizeram inúmeras perguntar ao próprio Vítor, que nem imaginava que o grande dia estava prestes à chegar.

Foi então que em um domingo de agosto seu sonho se realizou. O encontro foi marcado no autódromo de Interlagos, ele achou muito legal por que foi bem no dia que tinha PORSCHE GT3 CUP CHALLENGE BRASIL, ele adora carros, Vítor recebeu seu tão esperado laptop das mãos de um piloto que além de dar o presente ainda permitiu ao Vítor explorar todo seu carro. Vítor e a sua família aproveitaram muito bem o domingo, assistiram à corrida e saíram do autódromo com o presente nas mãos.

A MAKE A WISH É ASSIM.... REALIZA SONHOS

A MAKE A WISH Brasil foi fundada em 2008 e filiada a MAKE A WISH INTERNATIONAL que realiza os sonhos e desejos de crianças de 3 a 17 anos, portadoras de doenças que possam colocar em riscos sua vida, enriquecendo a experiência humana com esperança, força e alegria.

VOCÊ TAMBÉM PODE AJUDAR A MAKE WISH

As doações podem ser feitas através de cartão de crédito ou débito ou depósito em conta corrente:

Bradesco:

Agencia 0120-1

Conta 135956-8

Associação O poder do Desejo

CNPJ 10.453.012/0001-25

Make a Wish Brasil

Contatos:

Al. dos Nhambiquaras, 239, Moema, São Paulo

+55 11 5081.3601

+55 11 5081.3598

e-mail: contato@makeawish.org.br

Site: http://www.makeawish.org.br/

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

E Viva o Dia 13! ( por Alex Alan )

Dia 13 de Outubro foi o dia do Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional, e como o Garagem Online não poderia ficar de fora dessa data, fizemos um breve resumo sobre essas profissões:


Fisioterapia

A fisioterapia é a ciência que estuda o movimento humano, tendo em vista a prevenção e o tratamento de distúrbios biomecânicos e de funcionalidade humana usando os recursos físicos e naturais do corpo humano.

Os fisioterapeutas são formados em um curso superior, pelo qual são capacitados a avaliar, reavaliar e prescrever tratamentos físicos, órteses com procedimentos, técnicas, metodologias e abordagens especificas que tem o objetivo de avaliar, tratar e minimizar problemas e prevenir as mais variadas disfunções.

Eles podem tratar os pacientes em consultório, clinica, centro de reabilitação e hospitais.

Uma formação curricular permite ao fisioterapeuta, em sua avaliação ou consulta a formulação do diagnóstico fisioterapêutico (cinesiológico-funcional).

.
A fisioterapia foi regulamentada oficialmente no Brasil pelo Decreto-lei nº 938 em 1969 e pela Lei federal nº 6. 316 em 1975.
Muitas pessoas não sabem da importância dos fisioterapeutas para os portadores de deficiências físicas, mas os pais, parente e amigos, que tentam conseguir uma qualidade melhor de vida sem dor para os pacientes, reconhecem essa atividade fundamental durante o tratamento.

Santa Alphais é considerada a padroeira dos fisioterapeutas



Terapia Ocupacional

A primeira guerra mundial deixou muitas seqüelas no mundo. Naquele período, surgiram muitas novas profissões, entre elas a Terapia Ocupacional (TO), por volta de 1918, com o objetivo de ajudar um grande número de pessoas mutiladas e incapacitadas ou com distúrbios neurológicos.

O primeiro curso no Brasil surgiu na Universidade de São Paulo (USP), no final da década de 1950. No entanto, a profissão só foi regulamentada em 1969.

Poucos conhecem esses profissionais, que se dedicam a cuidar de pessoas com problemas físicos, sensoriais, mentais, sociais ou psicológicos. As principais atividades da TO são o planejamento e organização do dia-a-dia, possibilitando autonomia e independência possível para melhorar a qualidade de vida.

O trabalho do terapeuta interfere diretamente na realização de atividades cotidianas, principalmente, tais como escovar os dentes, levar alimento à boca, além de atividades mais complexas, como dirigir.

Graças a esses profissionais, os pacientes aumentam suas chances de voltar a desempenhar suas atividades de vida diária, afirmando seus papeis na sociedade.

São muitas complicações para aqueles que necessitam de tratamentos, e o fisioterapeuta e o terapeuta ocupacional tentam nos proporcionar esta tão esperada qualidade de vida.

Faço o agradecimento para esse profissional que tanto nos ajuda a ter uma vida normal, dentro do possível. Parabéns pelo seu dia, e que você seja esse profissional tão especial. Continuem com esse trabalho brilhante para todos.

Muito obrigado.

Supervisão: Ana Carolina Gomes


Revisão: Bruno de Pierro

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Carnaval nas Eleições (por Andre Hidemi)

Um verdadeiro Carnaval foi o resultado destas eleições. O Brasil, em especial o estado de São Paulo, elegeu por 1,35 milhão de votos Tiririca como deputado federal mais votado do país. Com os discursos ´´Você sabe o que faz um deputado federal? Não. Nem eu. Quando eu entrar, te conto´´; ´´Pior do que tá não fica´´ e ´´O povo não é palhaço não, mas eu sou´´, Tiririca obteve grande sucesso nas urnas e sua propaganda foi a mais comentada do Brasil. Além disso, Tiririca levou consigo mais três candidatos da chapa para a vaga de deputado federal, ocupando os lugares de alguns candidatos que inclusive tiveram mais votos do que eles.

A regra do quociente eleitoral que conta os votos que o partido recebeu e de acordo com esse número divide entre os candidatos listados do partido ou da coligação explica esse fenômeno.

O debate no qual Weslian Roriz, mulher de Joaquim Roriz, defendeu toda a corrupção do marido foi outro símbolo do Carnaval que virou esta eleição e seu vídeo foi um sucesso no youtube. Weslian Roriz mostrou o despreparo de algumas pessoas que exercem cargos públicos e todo tipo de sujeira que pode estar nos bastidores de Política.


Video que mostra o despreparo da candidata que pretende governar a capital da republica. Hilário!

A polêmica gerada pela decisão da justiça de censurar as críticas humorísticas feitas aos políticos foi outro sinal do Carnaval, uma verdadeira piada. Todos os programas de televisão e rádio ficaram proibidos de fazer piadinhas com os políticos. Essas eleições também foram marcadas pela indecisão quanto a validade e aplicabilidade da Lei da Ficha Limpa, que visava impedir as candidaturas de políticos com ficha suja. Muitos políticos ainda não sabem se poderão assumir seus cargos porque estão sendo julgados pela Justiça e não se sabe ainda se a Lei da Ficha Limpa deveria valer já em 2010.

Enfim, estamos no Carnaval de novo no Brasil e o que nos resta é rebolar ao ritmo do Rebolation e relaxar, pois, segundo um grande filósofo da Humanidade ´´pior do que tá, não fica´´.

Abram alas para a renovação no congresso nacional e que Deus nos acuda!

O Andre possui um blog pessoal com outras de suas posições politicas.


É só conferir em: http://andrehidemisuegama.blogspot.com/




terça-feira, 12 de outubro de 2010

Breve resumo do sistema político brasileiro ( Por Andre Hidemi )

No dia 3 deoutubro, foram realizadas as eleições 2010. Desta vez, a população brasileira votou para seis cargos: Deputado Estadual, Deputado Federal, dois Senadores,Governador e Presidente da República.

O deputado estadual elabora leis em nível estadual e fiscaliza o governador, ocupa a Assembléia Legislativa. O deputado federal elabora leis em nível federal e fiscaliza o Presidente da República,ocupa a Câmara. O senador elabora leis em nível federal, autoriza a nomeação de embaixadores, opina em matéria da política externa do país e fiscaliza o Presidente da República, ocupa o Senado.

O Congresso Nacional é composto pela Câmara e pelo Senado. No Senado, cada Estado elege três senadores. Na Câmara, cada Estado elege uma quantidade de deputados federais proporcional ao número de seus habitantes. Isso decorre do fato de se haver um equilíbrio de forças, uma vez que pela Câmara, o Estado mais populoso tem o maior número de ocupantes e pelo Senado todos os Estados serem representados por três senadores, dando oportunidade de os Estados menos populosos terem voz. Assim, para um projeto ser aprovado, ele tem de passar na Câmara e depois no Senado ou vice-versa; se houver alguma mudança significativa no projeto em uma das casas, ele é encaminhado para a votação na outra novamente. O mandato de deputado federal é de quatro anos. O mandato de senador é de oito anos, sendo que em uma eleição escolhemos um senador e na outra escolhemos os outros dois senadores. O deputado estadual, o deputado federal e o senador consistem em pessoas sábias que representam parcelas da população, uma vez que está não tenha tempo e nem conhecimento suficiente para exercer a atividade política, delegando essa tarefa. O governador administra o Estado e o Presidente da República administra a nação.

Se, na eleição, o governador e o presidente tiverem mais de 50% dos votos, o pleito é decidido já no primeiro turno, caso contrário é necessário haver um segundo turno. No Brasil, existem 27 partidos políticos: PSDB, PT,PMDB, DEM, PTB, PP, PR, PPS, PSB, PDT, PC do B, PRB, PV, PSOL, PSTU, PCB, PCO,PSDC, PSC, PMN, PHS, PRP, PSL, PTN, PTC, PRTB e PT do B. Além da eleição para os cargos citados acima, existe a eleição para Vereador e Prefeito, sendo o primeiro responsável por elaborar as leis em nível municipal e fiscalizar o Prefeito, e este de administrar o município. Bom, esse foi um breve resumo sobre o sistema político brasileiro.
              

                                                            
Supervisão: Ana Gomes dos Santos

Correção: Bruno de Pierro

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

2° edição da Galeria de Artes ”Espaço Criativo”.

O garagem-online tem o prazer de publicar a 2° edição da Galeria de Artes ”Espaço Criativo”.

Registro de momentos muito especiais, pois as obras foram produzidas coletivamente, por pacientes do período da manhã e da tarde, contamos com os arranjos e colaboração do nosso querido artista e amigo Carlos MacQuillin (Projeto Quadro de Cubos e DNA), com o talento e carinho de Silvia J. Nakazune (elaboração e criação do Projeto Copa do Mundo).

Mas nada teria sido possível se a coordenadora do setor de Terapia Ocupacional Adriana Klein, não acreditasse em todos nós e fizesse tudo virar realidade, ela nos conta como surgiram estas possibilidades.

Como tudo começou...


Por: Adriana Klein

A tradição de trabalhos artísticos utilizando como recurso terapêutico “o papel” teve inicio no nosso setor em 2008... Quando a terapeuta ocupacional Silvia começou a utilizar a técnica de origami com alguns pacientes.

Com o tempo pudemos perceber que além dos pacientes estarem gostando, esta técnica acabava estimulando outras áreas de conhecimento como a criatividade, memória, motivação e principalmente um desafio que levava a um produto final lindo de morrer!!

Assim logo conhecemos o artista Carlos, engenheiro especializado em origamis, Kirigames, entre outras técnicas...

Conversamos com ele sobre o talento dos nossos pacientes, e logo ele se empolgou em vir nos visitar!

Quando chegou aqui, ficou encantado com os trabalhos já realizados durante as sessões de TO e então logo estabelecemos uma forma de estimularmos o potencial de cada paciente com obras coletivas projetadas pelo artista.

Não podemos deixar de citar que todo este projeto foi possível com o patrocínio de uma família muito querida, que acreditou nesta idéia e colaborou com a compra de equipamentos e materiais fundamentais, como guilhotinas, tesouras, papéis especiais entre outros.

Sendo assim a proposta da oficina artística tem despertado diversos potenciais, inclusive há alguns pacientes produzindo peças para as obras originais do artista.

Já foram realizadas três obras coletivas, duas outras estão á caminho, uma até o início da primavera, e outra até a nossa festa de Natal... Aguardem!!!

Na Festa de final do ano pretendemos realizar a primeira exposição das obras coletivas e algumas individuais também, para divulgação deste trabalho, que na nossa percepção esta apenas começando.




Elaboração: Zizi Marques e Valdir Higino

Colaboração: Adriana Klein e Silvia J. Nakazune – Setor de T.O

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Movimento Salve a TV Cultura

Em plena campanha eleitoral, nos deparamos com uma grande polêmica, as tvs públicas do Brasil e a "falta" de verba do governo para manter a tv cultura no ar.


Para entender...

"Ex-secretário de Cultura do Estado de São Paulo, João Sayad assumiu a presidência da TV Cultura em junho com a missão de reduzir a TV pública paulista a uma simples TV estatal. Com o aval do ex-governador José Serra e do atual governador, Alberto Goldman, Sayad pretende reduzir ao máximo a produção de programas e cortar o número de funcionários em quase 80%, dos atuais 1.800 para 400". (Bene - em Brasilianas.org)

Quem não assistiu Bambalalão, Mundo da Lua, Anos Incríveis,Programa livre, Fanzine (com o grande, Marcelo Rubens Paiva - primeiro apresentador de auditório portador de deficiência física) e tantos outros que fizeram parte da infância de muitos adultos de hoje?!! Raros são os programas destinados a EDUCAR e entreter (no sentido verdadeiro da palavra)nas Tvs privadas abertas. O que vemos são desenhos altamente violentos, jornalismo, novelas e cultos religiosos em excesso.


A única tv pública de canal aberto do Estado mais rico do Brasil, que apresenta uma programação sem apelação, destinada a multiplos gostos e idades, marco de uma geração, encontra-se a-me-a-ça-da ao extermínio.
A televisão é o meio mais acessível que a grande massa utiliza para se entreter, por que não unir o útil ao agrádavel?!? Fazer de um meio de comunicação público, um canal de acessibilidade às coisas públicas, uma alternativa ao lazer, unindo informação, socialização e aprendizado. Afinal, este é o papel das Secretarias da Educação e Cultura.

O que choca é a tão importante e falada educação, colocada em primeiro lugar nas propostas e debates eleitorais pelos candidatos nestas eleições (antes mesmos da saúde), deixar de ser importante da noite para o dia, disvinculando a responsabilidade do governo em aprimorar o setor,empregando verbas para a melhoria e qualidade educacional do Pais.

Ao invés de criar meios para recuperar aquilo que se têm, no caso a TV Cultura, prefere-se cortar custos, terceirizar ou até privatizar,como tantas outras vezes se fez, declarando-se total incompetencia em gerir e manter em poder do Estado aquilo que é PÚBLICO.

Mais uma vez, o POVO têm os seus direitos à educação, cultura e lazer negados, o exercício da cidadania ferido, em um País DE-MO CRÁ-TI-CO.
Que possamos nos lembrar de todas estas coisas em tempos futuros e oportunos!!!

Saiba mais: http://www.brasilianasorg.com.br/materia-artigo/falta-de-consciencia-sobre-tv-publica-e-historica

Texto : Zizi Marques

Colaboração e Revisão: Bruno de Pierro - Jornalista e Revisor do Garagem

Supervisão: Ana Carlolina Gomes - Pedagoga

E chame o guincho! ( Por Andre Hidemi )

O uso do guincho de transferência tem me ajudado bastante em casa e na ABDIM. Com ele, posso ser transferido de um lugar para outro, sem necessitar de muitas pessoas para ajudar, de forma confortável, sem me machucar e sem correr o risco de cair.


Ele livra também do problema de saber a forma de segurar cada paciente, pois cada um tem um jeito e o guincho, na prática, uniformiza-o. Na ABDIM, ele ajuda os pacientes na hora da transferência da cadeira de rodas para a maca da Fisioterapia Motora.

Lá, temos dois guinchos, devido ao grande movimento na associação. Ele dispõe de uma selete resistente que envolve o corpo, de uma haste forte para levantar a selete com o corpo, controle remoto para acionar a transferência e de um carregador de bateria. Mas é necessário ter cuidado e manutenção, pois já houve queda do guincho comigo em cima dele.

Uma noite, em casa, meu pai sem querer retirou um parafuso errado para abrir os pés do guincho. Quando iniciou a andar, do nada, o guincho começou a tombar para o lado e foi com tudo, comigo em cima. No fim, acabei apenas torcendo a perna, não havia quebrado.

Comigo em cima da selete no chão, não sabia o que fazer, uma vez que a haste do guincho não podia abaixar a uma altura na qual a selete podia alcançá-la.

Depois de muito pensar e calcular surgiu uma idéia. Tivemos que improvisar uma corda forte e colocar na haste e pegar uma cadeira. Assim, amarramos a corda na haste por um lado, e por outro amarramos a selete. Subimos um pouco a haste pelo controle remoto e colocamos uma cadeira embaixo de mim.

Firme na cadeira, tiramos a corda e montamos o guincho normalmente e pusemos o parafuso no lugar correto dessa vez. No fim, deu tudo certo e fui para a cama no guincho mesmo.

Seria interessante que os hospitais e os centros de tratamento médico passassem a adquirí-lo, pois uma das maiores dificuldades encontradas nestes lugares consiste na transferência para se fazer os exames e os tratamentos. Para os cuidadores, o guincho representa um alívio para as suas dores nas costas.



A apresentação deste slide mostra o guincho propriamente dito e a remoção do André para atendimento na Abdim.

Supervisão: Ana Carolina Gomes

Revisor: Bruno de Pierro

Colaboração:  Archibalde Pouza Neto – Fisioterapia motora e Railto Campo dos Santos - Estagiário

                                                                                         


Trabalho ( Por: José Aparecido )

A vida de uma pessoa com algum tipo de necessidade especial não é fácil. Além da limitação física, há outras limitações que dificultam o acesso ao lazer, ao estudo e à convivência social; limitações que poderiam ser menores ou mais fáceis de transpor. Para tais situações, dependemos de leis que nem sempre são cumpridas e respeitadas pelos governantes que ali estão para fazê-las.

A dificuldade de acesso a vários locais, entre eles ao transporte, lazer, escola e trabalho limitam a inserção do deficiente físico à integração, principalmente ao trabalho que, neste caso, mesmo com a legislação, que diz que as empresas devem ter até 5% de pessoas com necessidades especiais, muitas empresas não o fazem alegando falta de qualificação profissional.

O importante é não desistir dos seus sonhos, deve-se sempre buscar a realização de seus deles, por mais difíceis que possam parecer. A vida é única e devemos seguir sonhando, pois, quando menos se esperam, poderemos realizá-los. Pode não ser aquele carro novo, a casa que imaginamos, mas é possível e devemos tentar realizar todos eles.

Quando adolescente, não acreditava que poderia realizar os meus desejos, sonhos: era incrédulo de certa forma, mas sempre pensei que o melhor que poderia fazer para mudar a minha vida seria estudar. Já no segundo ano do ensino médio, conheci algumas pessoas especiais que me incentivaram a estudar mais e buscar algo melhor na minha vida, foram acima de tudo amigos. Naquele ano (1996), a turma já pensava no que fazer, qual o curso superior escolher, e foi quando decidi estudar para prestar vestibular. No ano seguinte fazíamos grupos de estudo e cursos preparatórios. Acabei me interessando pelo curso de Administração de Empresas. Para minha decepção não passei nos vestibulares que prestei, mas não desisti - em 1998/99 passei no vestibular para Administração na FEAO-FITO, minha primeira vitória, um dos meus sonhos realizados.

Na faculdade tudo ia bem, mas faltava um emprego, já estava no terceiro ano e procurava o meu primeiro emprego, veio uma oportunidade boa de trabalhar na BEI como recepcionista. Foi muito bom. Aprendi muito com o serviço e com as pessoas, mas infelizmente deixei a empresa para terminar o estagio obrigatório. Depois de terminá-lo e me formar, fiquei um bom tempo sem trabalhar; comecei a enviar currículos e fazer provas de concursos públicos, mas não conseguia nenhum emprego em empresas privadas ou em órgãos públicos. Foram anos difíceis, mas nunca desisti, sempre estava tentando buscar um novo emprego.

No final de 2006, por indicação de um amigo consegui um emprego em uma transportadora, a Expresso Araçatuba, como auxiliar administrativo. Lá, aprendi muita coisa e ganhei novos amigos, que me ajudaram muito. Mas ainda não estava satisfeito. Apesar do ambiente da empresa ser ótimo, profissionalmente eu queria algo melhor. Em 2008, prestei concurso para técnico do INSS, passei e fiquei esperando que eles me chamassem para trabalhar. Só em abril de 2010, quando nem esperava mais nada do concurso, é que fui chamado para trabalhar, e hoje atuo como técnico do INSS.

O importante de tudo isso na verdade é que devemos valorizar os nossos sonhos e nunca desistir deles, por mais difíceis que sejam se não tentarmos nunca vamos conseguir, um vencedor nunca desiste dos seus sonhos ele pode receber vários não, mas sempre vai buscar o sim, por mais difícil que seja o seu sonho, sempre se devesse tentar lutar por eles.

Supervisão: Ana Carolina Gomes
Revisão: Bruno de Pierro

Alonga de lá que eu alongo de cá... (Por: Vinicius Tavares)

Alongamento na Distrofia Muscular é sempre um assunto de curiosidade e interesse de todos. O repórter Vinícius Tavares realiza uma bate-bola com a fisioterapeuta motora da Abdim Sheila Evangelista de Matos, que tira as principais dúvidas de pacientes com distrofia.










Perguntas:

1-Os exercícios da motora são importantes para cada paciente?

R: Com certeza sim, pois o programa de exercícios é individual e direcionado para as dificuldades e limitações de cada um.

2-Nossos músculos são fortalecidos quando faz motora?

R: Nas distrofias musculares a fisioterapia tem sempre o intuito de manter a força muscular que o pode apresentar, mas não que isso não possa ocorrer durante os exercícios propostos.

3-Você acha que os pacientes se sentem bem?

R: O bem estar e melhor qualidade de vida são objetivos da fisioterapia motora, e acredito que os pacientes sentem-se bem melhor com as terapias.

4-Qual parte do músculo é importante para nós?

R: Todos os músculos do corpo humano são importantíssimos e desempenham funções diferentes. Por exemplo, os músculos dos membros são responsáveis pela nossa locomoção;os da caixa toráxica, pela respiração; o coração (também é um músculo) é responsável pela circulação sanguínea; etc.

5-Se, por exemplo, um paciente para de fazer motora, pode atrofiar mais? Por que é importante fazer?

R:A atrofia muscular geralmente ocorre por um processo patológico ou por desuso. Deste modo, deixar de realizar fisioterapia é colaborar para inatividade do corpo, resultando em várias complicações físicas.










Supervisão: Ana Carolina Gomes
Revisão: Bruno de Pierrô
Colaboradora: Sheila Evangelista de Matos



Minha Nutrição ( Por Paulo Alexandre )

Meu nome é Paulo Alexandre da Silva Abreu e estou escrevendo em forma de depoimento sobre minha alimentação, que passou por momentos de dificuldades durante a vida.

As dificuldades foram muitas, pois só comia alimentos gordurosos. Hambúrguer, nuggets, churrasco e Mcdonalds eram constantes. Todo domingo, eram as únicas coisas que comia e não podia ouvir falar de salada, suco natural e outras coisas “saudáveis”.

A mudança foi muito difícil, mas tive que acabar com esse péssimo habito.

A partir de então houve uma transformação geral em casa, inclusive das pessoas que moram comigo - minha mãe e minha irmã. A alimentação delas acabou mudando e ajudando-me a manter a dieta.

Agora, no café da manhã eu como pão integral, no almoço comecei a dieta comendo duas colheres de arroz, (antes eu comia oito), variando um dia carne moída, frango e, de sobremesa, como uma fruta e um copo de suco natural. Comecei a comer de três em três horas, o que me faz não sentir tanta fome no jantar.

Com a ajuda de todos, e acompanhamento nutricional emagreci, muitos quilos, e estou me sentindo muito melhor comigo mesmo.

Colaboração e Apoio : Cristina Salvione - Nutricionista (foto)
Supervisão: Ana Carolina Gomes
Revisão: Bruno de Pierro

domingo, 29 de agosto de 2010


Um relato acidental !!! (Por: Felipe Roldão)

Tudo começou no dia 07 de outubro de 2008. Fazia um dia frio e chuvoso, e eu tinha 21 anos e minha irmã, Rafaela 03.

Ah, como ela era fofinha. Queria ajudar a todos, principalmente o vulgo “Pi”, que na ocasião era eu.

Estávamos na porta da padaria e a pequena Rafaela quis me levar para dentro de casa, no mesmo instante em que chegou um cliente para comprar uma bala. A minha sorte foi que, antes de ela ter essa idéia, minha mãe - com seu imenso cuidado - lembrou de colocar o cinto em mim, porém, esqueceu-se do mais importante: travar a cadeira.

Ela até colocou a mão para travar, mas, por ironia do destino a cadeira não travou. No instante que ela foi atender o cliente fiquei sozinho com a Rafaela.

Após a chegada do cliente, minha próxima visão foi a do portão, ou seja, Rafaela não agüentou o peso da cadeira e eu acabei caindo, o portão abriu, o cinto afrouxou um pouco e o incidente só não foi maior, porque a cadeira caiu do lado contrário da Rafaela.

A primeira pessoa que vi depois da queda foi meu vizinho Alan, que viu todo o acidente e foi tentar ajudar. Não sei como aconteceu, só sei que caí em cima do braço, que se partiu em três pedaços.

Nesse momento pensei que o mundo tivesse acabado, pois a primeira coisa que veio à mente foi nunca mais poder mexer no computador.

Foram longos três meses de recuperação com o braço imobilizado.
Nesse período conheci duas pessoas que foram a minha salvação, pois já estava sem esperanças de mexer no computador. São eles o Rogério e o Pedro.

Rogério, Terapeuta Ocupacional da ABDIM, apresentou-me um aplicativo chamado Micro Fênix, que funciona como um facilitador para o uso do computador, pois com o clique de uma tecla o mundo se abriu. Utilizei esse aplicativo por 1 ano e meio.

Nesse período o Rogério se desligou da ABDIM e eu conheci o Pedro, e com a ajuda dele criamos um anel que funciona como mouse, e novamente as portas se abriram e desde então o utilizo para dar asas à minha imaginação.

O relato desse acidente no blog é uma maneira de eu agradecer aos terapeutas ocupacionais e principalmente os dois, Pedro e Rogério, que me deram a oportunidade de fazer o que eu mais gosto nas horas livres... Mexer no computador.

Fica aqui meu sincero agradecimento ao Rogério, que retornou para a ABDIM, e para o Pedro, que não trabalha mais aqui, porém, me ajudou muito.


IMPORTANTE:

O relato do nosso amigo Felipe, nos chama atenção, do quanto devemos estar atentos com a segurança do usuário de cadeira de rodas... Então, vale à pena registrar!!!
Lembre – se de reconhecer as suas limitações, checar se o cinto de segurança está muito solto ou preso e se o fecho não está abrindo facilmente ( relaxado ).
Utilizar o cinto de segurança SEMPRE, quando a cadeira estiver em movimento ou dentro de um veículo adaptado.

Supervisão: Viviane de Miranda Montagnini
Revisão: Bruno de Pierro

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Saber para entender...

Numa reunião de pauta do garagem online surgiu a proposta de mostrar as varias formas de tratamento sob o ponto de vista dos próprios freqüentadores. Foi escalada então uma verdadeira equipe de jornalismo que saiu a cata de toda e qualquer informação Abdim a fora, nossos repórteres e redatores entrevistaram profissionais e colheram depoimentos de alguns pacientes. Vale salientar que nossa matéria não tem nenhum cunho cientifico, tomara também ela sirva de referencia para os milhares de distróficos espalhados pelo Brasil e que o envolvimento durante a elaboração da mesma torne a relação paciente-profissional um pouco mais humana.

Introdução: Valdir Higino

Apresentamos a seguir o trabalho dividido em partes:

Estica e puxa... ( Por Alex Alan )




Exercícios de Alongamentos devem ser feitos todos os dias, para prevenir complicações aos pacientes com distrofias musculares. Por meio de um manual, o fisioterapeuta passa orientação aos pais e pacientes para complementar o tratamento na Abdim. Na entrevista com a fisioterapeuta Julia ela fala sobre esse assunto.

1-Quais os benefícios dos alongamentos domiciliares?

R: Por causa da tendência a retrações articulares, os alongamentos podem prevenir as deformidades mantendo as articulações íntegras. Os alongamentos devem ser feitos diariamente para ter o efeito esperado, por isso devem-se realizar os alongamentos em casa para complementar o tratamento.

2-O paciente pode fazer alongamentos sem a prescrição da fisioterapeuta?

R: O ideal é que o paciente seja orientado por um fisioterapeuta, que é profissional capacitado para isto.




3-Quantas vezes por semana os alongamento devem ser feitos?

R: Os alongamentos devem ser realizados diariamente.

4-Como o fisioterapeuta orienta os pais?

R: Aqui na Abdim temos um manual de alongamentos com fotos ilustrativos e explicações. Temos um manual para cuidadores e outro para o paciente. Pais, cuidadores e pacientes são orientados duas vezes por ano pelos fisioterapeutas para garantir que estão realizando corretamente e sempre podem tirar duvidas.

5-Quais as conseqüências de não realizar os alongamentos?

R: O aparecimento das deformidades pode ser mais precoce, isso pode dificultar ate mesmo para andar. Também pode causar dor e dificuldade no posicionamento na cadeira de rodas.


Supervisão: Ana Carolina

Revisão: Bruno de Pierro

Colaboração da Fisioterapeuta Motora: Julia Satie Nishiguchi